O sequestro de um pastor da universal – Parte 3

Naquela madrugada, no cativeiro, eu fiz uma oração, e enquanto orava percebi que todos que estavam no local se agitaram e saíram ficando apenas uma mulher.

Eles tinham colocado minhas mãos amarradas na frente e as mulheres que por vezes ficavam no cativeiro diziam que quando os “homens maus” viessem, elas colocariam pra trás novamente.

Quando todos tinham saído eu comecei a chamar:

“Senhorita, senhorita preciso ir no banheiro”

Ela ligou pra eles, que mandaram amarrar as minhas mãos para trás, e quando ela me desamarrou, eu a segurei e comecei a tentar sair daquele lugar, houve uma luta corporal pois ela tentava me bater e eu ainda estava em parte preso pelas cordas. Ela gritava:

“Nós não te fizemos mal, não te maltratei, socorro, Socorro!”

Os seus gritos chamaram a atenção de alguém lá fora, e escutei alguém bater no portão do estacionamento.

Soltei aquela mulher, me ajoelhei e falei:

“Meu Deus, entrego minha alma em suas mãos”- porque eu imaginava que naquele instante, iriam me matar. Com certeza teria ouvido e percebido que tentava fugir.

Quando ouvi a voz, percebi que não era o sequestrador, então quando ela foi atender, eu consegui desamarrar uma mão, e subi em um armário que tinha próximo a porta, já tinham tirado meu sapato, estava só de meia, e tentei de todas as maneiras sair dali, até que consegui.

Saí correndo o mais rápido que pude e me deparei com uma ribanceira, não pensei duas vezes e desci correndo, me machuquei, mas na hora nem percebi. Tinha que fugir, tinha que sair daquele lugar antes que fosse tarde demais.

Entrei em um matagal e ouvi o barulho dos carros, me deparei com uma estrada, mas fiquei com medo dos sequestradores me verem, pois para mim, estavam em todo lugar.

Então fiquei escondido no meio do mato, até que ouvi uma música e percebi que havia um bar, ali, talvez conseguisse ajuda, um telefone, enfim, algo que pudesse me tirar daquel lugar a salvo.

Ao entrar, conversei com o homem que atendia no balcão, lhe disse que tinha sido assaltado e que era o meu primeiro dia no país. Preocupado eles chamaram a polícia.

Quando vi o camburão da policia, corri e disse que tinha sido sequestrado, a polícia já estava a par da situação, então me levaram de encontro ao pastor.

Ele me levou para casa e já havia um médico para me examinar, felizmente, eles não estavam com minha família e eu não tinha fraturado nada. Tomei um banho, coloquei a sandália, pois o sapato não entrava, e fui fazer a reunião das 7h, depois adormeci e pedi pra me acordar para fazer a reunião das 10h. Eu estava livre e não queria perder tempo, precisava trabalhar para levar Deus aquelas pessoas.

Depois de tudo isso, permanecemos firmes fazendo a obra neste país, sem saber que ainda haveria mais surpresas desagradáveis.

As autoridades prenderam os sequestradores e o pior de tudo foi descobrir que, na verdade, era a esposa de um tecladista que queria matar o outro pastor, e acabou sendo comigo. Alguém do nosso meio desejava o nosso mal.

Hoje ela está presa e já teve até um filho de um chefe de tráfico no presídio. A polícia já a investigava, e então quando houve o sequestro, já estavam ouvindo as conversas telefônicas, desta esposa e os sequestradores.

Tive que ir três vezes ao tribunal para relatar o que houve, e os sequestradores juntamente com esta ex-esposa, estavam do outro lado ouvindo tudo.

Eu deixava claro que cheguei ali pra ganhar almas, e não tinha nada contra eles. A mídia divulgava o ocorrido, e eles ainda aguardavam julgamento, neste periodo , mandaram matar uma das que estavão no cativeiro, então era uma tribulação.

Um dos auxiliares do juiz me perguntou –

“Quem te livrou de tudo isso?”

E eu disse : “Estava em um lugar desconhecido, sozinho e preso, somente Deus poderia me livrar e foi exatamente o que Ele fez”- ele voltou de cabeça baixa para a sala, como se soubesse que teria que reconhecer o Deus que eu servia.

Eu tenho certeza que aquela oração no cativeiro, me livrou e hoje eu pude dividir com vocês esta minha história.”

Relatou o pastor, que hoje segue no trabalho evangelistico e Deus tem mudado a vida de muitas pessoas através da fé ensinada naquele país.

“Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.”

Salmos 91:11

Deus não desampara o justo, mas é necessário que confie n’Ele.

Alfredo Paulo – Curta minha página no Facebook

Um comentário em “O sequestro de um pastor da universal – Parte 3

  1. fabiano disse:

    e realmente esse pastor estava em comunhao com deus, porque so deus podia fazer algo.

Comente você também

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s